narodacompsicologos@gmail.com

Rua Martinico Prado, 26 - cj. 122

Telefone: (11)  4323-1725

Whatsapp: (11) 98945-2103

Siga nossas redes sociais:

© 2016 NA RODA COM PSICÓLOGOS

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

Neuropsicologia

20.02.2017

 

Entender a conexão cérebro x aprendizagem, proposta a partir do conhecimento da Neurociência, apresenta-se como um dos assuntos mais procurados e um dos grandes desafios educativos. Entretanto, considerando que a neurociência é uma ciência nova, pode-se dizer que: a interface cérebro x aprendizagem necessita de muito investimento científico, mas são profissionais das mais diversas áreas que tem voltado seus estudos para este enfoque. Conforme estudos de Tokuhama-Espinosa (2008, apud Zaro, 2010, p. 205), demonstraram que:

...enquanto milhares de estudos foram devotados para explicar vários aspectos da neurociência (como animais incluindo humanos, aprendem), apenas uns poucos estudos neurocientíficos tentaram explicar como os humanos deveriam ser ensinados, para maximizar o aprendizado. (...) das centenas de dissertações devotadas ao ‘ensino baseado no cérebro’, ou ‘métodos neurocientíficos de aprendizado’, nos últimos cinco anos, a maioria documentou a aplicação destas técnicas, ao invés de justificá-las.”

 

Uma das áreas que vem abrindo espaço dentro âmbito de conhecimento é a Neuropsicopedagogia. Sua primeira descrição no campo científico se deu através de Jennifer Delgado Suárez, no artigo intitulado “Desmistificacion de la neuropsicopedagogía” onde apresentou uma composição histórica da trajetória neuropsicopedagógica e ressaltou sua importância para o contexto educativo.

FERNANDEZ (2010) aponta para três pontos elucidativos da Neuropsicopedagogia, abordada por Suárez: 1º Educação; 2º Psicologia e 3º Neuropsicologia. Educação no intuito de promover a instrução, o treinamento e a educação dos cidadãos. A Psicologia com os aspectos psicológicos do indivíduo. E, finalmente, a Neuropsicologia com a teoria do cérebro trino, sendo que aqui oportunizou a teoria das múltiplas inteligências, propostas por Gardner.

Conforme as autoras colombianas, a Neuropsicopedagogia traz importantes contribuições à educação, pois existe a possibilidade de se perceber o indivíduo em sua totalidade. Mas, afinal do que se trata a Neuropsicopedagogia? Para Hennemann (2012, p.11) a mesma apresenta-se:

... como um novo campo de conhecimento que através dos conhecimentos neurocientíficos, agregados aos conhecimentos da pedagogia e psicologia vem contribuir para os processos de ensino-aprendizagem de indivíduos que apresentem dificuldades de aprendizagem. 

 

Através dos conhecimentos neuropsicopedagógicos existe a possiblidade de entender como se processa o desenvolvimento de aprendizagem de cada indivíduo, proporcionando-lhe melhoras nas perspectivas educacionais e dessa forma desmistificar a ideia de que a aprendizagem não ocorre para alguns; na verdade sempre acontecerá a aprendizagem, entretanto para uns ela vem acompanhada de muita estimulação, atividades diferenciadas, respeitando o ritmo de desenvolvimento do indivíduo.

Dentro desta linha de pensamento as contribuições de Tokuhama-Espinosa (2008, apud Zaro, 2010, p. 204), podem ser consideradas de significativa importância e utilizadas como elementos importantes nas intervenções neuropsicopedagógicas, que são elas:

a)  Estudantes aprendem melhor quando são altamente motivados do que quando não têm motivação; 
b) stress impacta aprendizado; 
c) ansiedade bloqueia oportunidades de aprendizado;
d) estados depressivos podem impedir aprendizado;
e) o tom de voz de outras pessoas é rapidamente julgado no cérebro como ameaçador ou não-ameaçador; 
 f) as faces das pessoas são julgadas quase que instantaneamente;
g) feedback é importante para o aprendizado;
h) emoções têm papel-chave no aprendizado;
 i) movimento pode potencializar as oportunidades de aprendizado; 
 j) nutrição impacta o aprendizado;
 k) sono impacta consolidação de memória; 
 l) estilos de aprendizado (preferencias cognitivas) são devidas à estrutura única do cérebro de cada indivíduo; 
m) diferenciação nas práticas de sala de aula são justificadas pelas diferentes inteligências dos alunos.

 

 

 

Cristiane Ruivo, é Psicanalista Infantil, Musicoterapeuta e Psicopedagoga.

Atua na área de Consultoria a Escolas da Rede Pública e Privada e Consultório.

 

Para agendamentos e Contato

+55 11 96447-3088 (whatsapp)

e-mail: crisruivo02@gmail.com

Please reload

Arquivo
Please reload

Siga

Blog

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
Compartilhe o último Post
  • Facebook Social Icon